MOÇÃO DE APOIO À GREVE DOS TRABALHADORES EM EDUCAÇÃO DA REDE MUNICIPAL DE PALMAS

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário Federal no Tocantins (SINDJUFE-TO), representante dos servidores das Justiças Federal, Eleitoral e do Trabalho, vem a público REPUDIAR os atos antissindicais praticados pelo Prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB), contra a greve dos trabalhadores e trabalhadoras em educação da Rede Municipal de Palmas.

O Prefeito Carlos Amastha (PSB), demonstrando incompetência político-administrativa, optou por judicializar o movimento, pedindo na justiça a “ilegalidade” da greve e até a prisão de dirigentes sindicais, o que fere a direitos constantes da Convenção 87 e 89 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), da qual o Brasil é signatário.

É imperioso salientar, em primeiro lugar, que a greve é um direito constitucional dos servidores públicos que deve ser respeitado. Em segundo, as pautas de reivindicação dos trabalhadores em educação, diferentemente de qualquer outro movimento, sempre transcendem a questão remuneratória, trazendo sempre benefícios à população em geral por meio de cobrança de qualidade da educação.

“Ilegal” e “abusiva” não é a greve dos profissionais em educação, mas a precarização e o desmonte da coisa pública promovidas pelo prefeito no intuído de descredibilizar as instituições públicas para privatizá-la na primeira oportunidade.

É necessário investimento adequado na estrutura e prestação do serviço público, na valorização do profissional e da carreira a partir de salários dignos e qualidade de vida. Somente com a mobilização e a unidade da classe trabalhadora é que conseguiremos alcançar uma sociedade mais justa.

Por isso, ao tempo em que repudiamos a atitude do Prefeito Carlos Amastha (PSB), manifestamos APOIO e SOLIDARIEDADE à legal e justa luta dos trabalhadores e trabalhadoras em educação de Palmas em prol da recomposição salarial e de uma educação de qualidade.

A DIREÇÃO.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *